Os Estados Unidos estão a caminho de se tornarem um "exportador líquido de energia" até 2022 de acordo com um estudo recente da agência "Energy Information Administration (EIA)".

No seu mais recente artigo no jornal "Mercado", o sócio de Oil&Gas Rui Amendoeira, analisa a extraordinária transição dos Estados Unidos de importador para exportador líquido de energia e as consequências desta mudança para o mercado energético mundial.

  • Leia o artigo completo aqui.